30

O dia em que mudei de casa – minha mudança para Portugal

mar e ao fundo parede rochosa da área da Boca do Inferno em Cascais
Foto tirada por Manu Rigoni @manurigoni
Depois de 10 meses morando em Portugal, por opção, decidi compartilhar um pouco a minha experiência.
Sempre digo que o Blog é de viagens, e por isso, pouco apareço nas redes sociais ou mesmo em fotos publicadas por aqui.
Mas… achei que seria válido dizer um pouco sobre a minha mudança, e o que mudou em mim, e que no final, tem sido a maior viagem da minha vida!

Vou começar pela decisão. Há dois anos, aproximadamente, eu e meu marido começamos a pensar em nos mudar do Brasil, pensando especialmente nos nossos filhos, que são pequenos adolescentes. Independentemente de opções políticas, religiosas ou o que mais pensarem, realmente concluímos que em um espaço de tempo mediano, e por causa de vários problemas, seria melhor proporcionar aos nossos filhos viver em outro país.
Decididos a nos mudar, passamos a pensar para qual local iríamos. Eram muitas as variáveis, e não dá para excluir aquilo que é fundamental para nossa família. No nosso caso era a distância do Brasil, o clima, e a possibilidade de xenofobia.
Portugal era nosso melhor destino. Já conhecíamos desde 2006, quando estivemos por cá, e especificamente em Cascais. Desde aquela época, nos apaixonamos pelo balneário e já pensávamos em um dia voltar. Este dia só veio antes do que pensei.
Por coincidência, um casal amigo morava aqui ao tempo da decisão, o que nos ajudou em muito a confirmar as nossas expectativas e decisão de mudança. Decidimos ir para Portugal em agosto de 2017.
Mudar parecia simples. Especialmente por que sabia que era o melhor para minha família.
Tudo ficou difícil a medida em que o tempo do fatídico dia 13 de agosto de 2017 se aproximava. Aos poucos fomos contando para as pessoas mais próximas, e a parte mais difícil foi dizer aos meus avós, que sempre foram meu porto seguro, e agora estariam longe. Vi as lágrimas rolarem dos olhos da minha avó, a mulher mais forte com quem já convivi. Vi o chorão do vovô dizer: eu te carregaria nos braços sempre, mas se isso é o melhor para vocês, vá, por que filhos são para o mundo.
Me fiz de forte, mas acho que foi o dia mais difícil da minha vida.
A partir dali, todos os dias trabalhamos para a mudança. Conversa com o Colégio, locação do imóvel, abertura de conta em banco, venda de veículos.
Fiquei até quase o último dia no trabalho. Ele me deixava manter a sanidade e não pensar no que eu deixaria no Brasil. Foi uma despedida emocionada, porque quando se trabalha com pessoas queridas, parceiras, é difícil dizer adeus.
Tive despedida surpresa organizada pelo meu marido. Me senti ainda mais amada.
Se tem algo que esta mudança fez por mim foi me mostrar como sou rodeada de pessoas calorosas, amorosas e amigas. Fiz escolhas muito certas quanto as minhas amizades.
Na véspera da viagem, meu marido tocou com sua banda, e mais uma vez, vários amigos por perto.
Decidi que não seriam despedidas, mas meros “até breve”. Me conscientizei de algo que não sabia: odeio me despedir. Gosto de gente, e cada despedida parece um fim. Não me despeço. Sei que logo encontro novamente, mesmo que este logo dure alguns meses.
Chegado o dia, no aeroporto, minha maior surpresa foi a presença de uma amiga do meu filho, que não tinha conseguido estar com ele antes. Foi até lá, com um presente dar um abraço. Não há nada no mundo que deixe uma mãe mais feliz do que ver seus filhos felizes.
Viagem realizada. Novos olhares, oportunidades, expectativas.

E logo que cheguei falei da mudança no Capixaba na Estrada! Já leram?
Foi aqui em Portugal que descobri que saudade dói. Mas dói de um modo sem fim. É uma dor na alma, que atinge o corpo, que deixa as lágrimas correrem soltas, sem saber exatamente por que, ou por quem. Só dói.
Mas foi aqui também que descobri que o amor atravessa oceanos, todos os dias. Atravessa de avião, pelo telefone, com uma mensagem nas redes sociais.

Descobri o valor de perguntas simples, como: “Vou a Portugal, quer que eu leve alguma coisa?” ou mesmo da frase: “Estou em Portugal e queria te dar um abraço.” Isso demonstra uma consideração inimaginável.

 
farol de santa marta ao fundo com o mar por baixo e pedras, que formam uma pequena enseada
Foto por @ManuRigoni


Neste período, ingressei em um mestrado – para o qual tinha feito processo seletivo desde o Brasil e já tinha sido admitida. Fui surpreendida o tempo todo. Primeiro pela idade dos meus colegas de curso (todos muito mais novos), segundo pela simplicidade de alguns professores, mas por outro lado, pela arrogância de outros. Foram muitas adaptações à minha vida.

Eu brinco que fazer um mestrado é o mesmo “tomar um caldo” no mar: você tenta se levantar e outra onda te derruba, só tem o tempo para pegar mais fôlego e não morrer afogado. É bem isso.
Recentemente até li uma reportagem sobre depressão em mestrandos e doutorandos. Não falo para desestimular, mas para saber que é preciso, além de estudo, força e apoio emocionais. Falei sobre o mestrado no blog As Passeadeiras, vale a pena ler.
O mestrado tem sido ótimo para manter a mente ocupada e evitar pensar na distância. Nunca imaginei fazer, mas quem manda no destino, não é?!
Quanto ao país, é preciso não se esquecer que, mesmo Portugal, é um país totalmente diferente do Brasil. Outra cultura, e até mesmo outra língua – não fazem ideia de como há palavras diferentes e também falsos cognatos (perigo!!) – mas sobre isso eu ainda vou escrever.
Depois de todo este período, eu posso dizer que sempre devemos viver nossos sonhos, e não os dos outros. Mudanças são bem vindas, nos fazem crescer, mas se não for por algo nosso, as frustrações e problemas do caminho se tornarão muito mais pesados e difíceis.
Quando vejo em algumas redes sociais perguntas sobre o que levar na bagagem, do que sentem falta, se há calças jeans, levo Toddy ou não na mala… eu penso que a pessoa deveria rever a decisão de mudar. Se há algo muito essencial e que só existe no Brasil, você não conseguirá viver bem em nenhum outro lugar do mundo.
E se isso é tão essencial, talvez isso ocorra porque você esteja colocando pedras no caminho para justificar permanecer onde está. Se é seu sonho, são estas pedras que te impedirão passar? Ou o sonho não é seu?
Se eu me mudaria novamente? Por que não? Hoje, sinto-me realizada em proporcionar à minha família à paz que sempre quis e que eles merecem.
Esta mudança me permitiu fazer novas amizades, conhecer lugares, e até me dedicar mais ao Blog! Mas, tenho certeza que a maior mudança não foi de casa ou país, mas de concepções, de conseguir ver o que realmente mais tem valor nesta vida. Tenho muito a aprender, mas estes últimos 10 meses foram um salto gigantesco quanto a isso.
Por fim, é claro que a saudade não acaba, mas ela fica guardada, e faz visitas periódicas. A diferença é que sei lidar melhor com ela.
 
Eu no meio a flores da Floricultura Pequeno Jardim
Foto tirada por Carol Andrade @carol_andrade_fotografia
 

Quer saber mais sobre Portugal? Seguem as dicas mais especiais:

 
 
 
 
 
 
 
Tem muito mais no Blog! Para saber, basta colocar na busca “Portugal” e as dicas aparecerão!
 
 

Se quiser reservar um hotel – por aqui ou em qualquer lugar do mundo!! – acesse o Booking! Há diversas opções!

Precisa transferir dinheiro para o exterior? Clique aqui, cadastre-se no TransferWise e ganhe uma transferência sem custos! 

 
 

Já segue o blog nas redes sociais? Aproveite: curta e compartilhe!

Facebook:Um Olhar Novo
Instagram: @blogumolharnovo
Twitter: @UmOlharNovo
 
 

Matérias que você pode gostar também

30 Comentários

  • Responder
    Clivia Fanzeres
    14/06/2018 em 06:27

    Carol, que texto lindo. To aqui cheia de lágrimas nos olhos. Como tantos parágrafos me representam. Fico muito feliz em ter cruzado seu caminho por aqui. Parabéns. Bjs

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 06:28

    Clivia, feliz demais em também te ter no meu. Há coisas que não se explicam, não é? Mas que bom que cruzamos o oceano e nos encontramos! Beijinhos!!

  • Responder
    Dani Lasman
    14/06/2018 em 13:21

    Que bom que nós todas nós cruzamos! Mto feliz por isso!! Mesmo não nos vendo com a frequência que eu gostaria sei o quanto vocês são especiais e o quanto é confortante ter a presença de vocês por perto!

  • Responder
    Dani Lasman
    14/06/2018 em 13:21

    Uau!! Me fez chorar!!! Você é mesmo o que sempre vi em Você, um amor em forma de gente!
    Sinto tudo o que você descreveu. A primeira vez que meu pai veio pra cá eu chorei por quase 2 dias na despedida. A segunda vez chorei por 2 minutos. Não que o amor tenha mudado mas é o coração que já vai acostumando. Fácil não é. Mas também o que é fácil nessa vida? A vida é feita de escolhas e eu escolhi estar aqui então eu que tenho que transformar minha vida aqui para que ela seja agradável. Ps. Eu tenho estoque de toddy hahaha amoooo mas tb tomo o daqui até pra economizar haha
    Ps1. Escreva mais textos como esse!!!! Amei amei amei!!

  • Responder
    Ale
    14/06/2018 em 13:21

    Parabéns pelo texto, me emocionei de verdade.
    Eu já moro longe dos meus pais, irmão, sobrinhos e amigos de infância há 12 anos, sei como dói a saudade, mas também sei que a cada dia fica mais fácil lidar com ela.
    Nos 2 primeiros anos que cheguei aqui, foi a época mais difícil, mas hoje a tecnologia ajuda a amenizar a dor da saudade e a distância, não é o mesmo que um abraço, mas ajuda.
    E não me arrependo de ter saída da minha "zona de conforto", aqui conheci meu marido e formei minha família.
    Agradeço a Deus por não ter medo de mudar, e em breve virá uma nova mudança…

  • Responder
    Renata Lese
    14/06/2018 em 13:21

    Amei o texto! Obviamente cada uma de nós que já viveu essa mudança se identifica em alguma parte do texto! Parabéns a todos que conseguem superar no dia a dia a saudade!

  • Responder
    Nayhara
    14/06/2018 em 13:21

    Maravilhoso!!! Texto lindo e real!!!!
    Beijos

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:39

    Ah Dani! Eu fico tão feliz de ler isso! Com a mudança, a gente sempre acha que nunca mais terá amigos, e saber que isso não é verdade, sempre deixa o coração mais feliz!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:40

    Obrigada Nayhara! Admiro sua coragem, também foi uma grande mudança! Beijos!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:40

    Acho que é isso mesmo: uma superação diária de saudade! Que bom que gostou! Beijinhos!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:42

    Não ter medo de mudar é uma virtude! Com certeza a tecnologia diminui muito a distância e a angústia que às vezes nos toma o peito. Sucesso e força para todas as mudanças!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:43

    Dani, você me inspira! Muito! Já penso que te darei de presente de aniversário um pote de Toddy kkk 🙂 Brincadeiras à parte, feliz por termos nos encontrado nesta vida!! E obrigada por tudo, mesmo!

  • Responder
    Drª Vivian Bernhard
    14/06/2018 em 17:44

    Amei tudo! Parabéns pelo texto!

  • Responder
    Claudia Bins
    14/06/2018 em 17:44

    Tanta emoção e carinho transcritas aqui. Só li verdades e muito me identifiquei. Uma das maiores felicidades de ter mudado para Portugal foi ter te conhecido. Um beijo no coração!

  • Responder
    Paula Xavier
    14/06/2018 em 17:44

    Carol, parabéns pelo texto,pela lucidez e pela coragem.Só quem já fez esse caminho é q sabe. Beijo no coração.

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:47

    Sabemos bem, não é? Abrimos mão de muitas coisas, mas vamos superando um dia de cada vez, e relembrando o que nos motivou a mudar. Obrigada pelo carinho! Beijinhos imensos!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:48

    Portugal me deu você de presente, já valeu a pena ter mudado! 🙂 Você é peça fundamental! Obrigada, por tudo, por sempre! Beijinhos imensos!!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    14/06/2018 em 17:49

    Que bom!! Espero ter te encorajado, e saiba que sempre poderá contar comigo 🙂 Beijinhos, em especial, no Pequeno!

  • Responder
    Nathalia Peixoto
    16/06/2018 em 05:57

    Que post gostoso Carol. Saudades doi, mas faz parte de vida. E também das nossas escolhas né? Fico feliz que, mesmo com a saudade, você e sua família estejam se adaptando e amando a nova rotina!

  • Responder
    Melissa
    17/06/2018 em 13:36

    Que bom que escreveu, colocou para fora, pensou. Isso é delicioso né? Parabéns pela coragem, pela organização e pela conquista! Deus continue te abençoando!! Ainda vou te ver aí! Assim que der!! E levo o que vc precisar, vou mandar a pergunta 😉 beijos

  • Responder
    Deivson Santana
    17/06/2018 em 13:36

    Você é maravilhosa e merece toda realização possível. Mudanças dentro dos sonhos sempre são boas!

  • Responder
    Marcelo Ribeiro
    18/06/2018 em 04:38

    Parabéns pelo texto e pela decisão de mudar. Sei que não é fácil.

  • Responder
    maria tereza
    18/06/2018 em 16:04

    Carol, qta saudades de vc…. Acho que terei que ir a Portugal para te ver!!! Texto lindo, mas tb não poderia ser diferente, porque vem de uma pessoa que é e tem uma alma linda!!! Igualmente a vc tb já pensei em ir morar ai, quem sabe ne? Quem sabe Deus nos mande para Portugal, não sei…. Mas coloquei essa intenção no altar do Senhor, e se for da vontade dele quem sabe não seremos vizinhas, kkkk Fique com Deus Carol, e vc é mto querida, está fazendo mta falta a nós, beijos

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    18/06/2018 em 16:05

    Quando a gente quer, faz dar certo, não é mesmo?! 🙂 Feliz também por você! Bjs!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    18/06/2018 em 16:06

    Se eu pudesse colocar em escala, diria que você está lá no alto, me incentivando, ajudando, apoiando. Quando se é rodeada de pessoas assim, tudo fica melhor. Obrigada!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    18/06/2018 em 16:07

    Eu espero muito te ver aqui!! Obrigada pelo carinho e apoio de sempre! Você é uma pessoa de luz! Bjs!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    18/06/2018 em 16:07

    Obrigada! Mudar não é fácil, mas com apoio, e querendo dar certo, tudo corre melhor 🙂

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    18/06/2018 em 16:08

    Ah! Que comentário mais lindo! Venha sim ser minha vizinha!! Nem sei como agradecer tamanho carinho!! Beijo enorme!

  • Responder
    Elaine Castro
    19/06/2018 em 14:02

    Que vontade de ser uma dessas pessoas que dizem "Estou chegando. Quer alguma coisa do Brasil?". Estou sempre torcendo por vocês, acompanhando as novidades e vibrando com as conquistas. Você merece tudo de mais maravilhoso, em qualquer lugar do mundo. Estou amando conhecer Portugal por meio dos seus olhos. Beijos!!

  • Responder
    Ana Carolina Santos
    19/06/2018 em 14:06

    Ah meu Deus! Sinto tanto carinho com essas mensagens! Fortalece, sabe?! Principalmente quando a gente vê, e sente, que é tudo verdadeiro!! Obrigada!! E espero ouvir o "Estou chegando!!" Beijos!!

  • Deixe um comentário